Por que os galinhas?

Roberta é uma garota bonita e vaidosa, porém mesmo sempre bem vestida, fazia um tempo que andava com pouca auto-estima. Tudo isso, culpa de seus relacionamentos anteriores. Apesar ser tímida, Roberta, sempre se atraía por garotos bem-humorados, comunicativos e (claro!) bonitos, tipo de garoto geralmente popular, um conjunto de qualidades que já vem acompanhado com um analgésico e um par de chifres. Como com ela não podia ser diferente, seu último relacionamento, de dois meses acabou após pegar seu namorado ficando com uma amiga sua. Depois de uma semana inteira de comédias românticas, pipocas e muito brigadeiro de colher decidiu virar o jogo, de agora em diante ela quem manipulava a situação, não deixaria que nenhum galinha entrasse no seu caminho.
Era uma segunda-feira, primeiro dia de aula na faculdade, iria conhecer gente nova, lugar perfeito para por seu plano em prática. Mal chegou na sala e já detectou o possível galináceo cacarejando envolto de algumas ruminantes, lá estava ele: lindo e exageradamente sociável. Opá! Ele a viu olhando e deu uma conferida básica na próxima vítima em potencial, ela imediatamente disfarçou indo a escolha da sua cadeira e com muita raiva do jeito masculino de ser. Para dificultar as coisas, o garoto senta-se ao seu lado apresentando-se, a moça forte a bicadas, não da o cabimento, puxando papo com a garota do outro lado. A situação vai ficando cada vez mais complicada, já que o professor passa um trabalho em grupo e Roberta prontamente convida a colega do lado, que por sua vez convida o temido rapaz, que por sua vez, joga todo o seu charme, e apesar de Roberta saber que estava sendo ignorada, em resposta ao primeiro momento de indiferença da parte dela, não podia deixar de prestar atenção em tudo o que ele falava, mesmo que não estivesse dirigindo-se a ela.
O sinal tocou e o garoto com o carimbo de galinha na testa, levanta-se para entregar o trabalho ao professor. Então, sua colega lança o infeliz comentário: “Você viu como ele me ajudou a resolver aquela questão? Além de bonito é inteligente”. Roberta já tinha achado o rapaz bonito, mas agora ele se tornará quase irresistível. Ele acompanha a garota (que agora parecia ser insuportável) até a porta aos cochichos. Ela tentava relevar enquanto caminhava solitária para um banco do pátio, pensar no assunto que teria para falar com suas amigas ao telefone, afinal não iria perder tempo com gente que nem conhecia. Tempo que já estava para ser perdido, pois o rapaz senta-se ao seu lado puxando papo e em meio tempo, cumprimentando a muitos que passavam, ela corresponde tentando não se envolver muito na lorota, mas era cada vez mais difícil. Até que ele, sabiamente, elogia seu perfume. Roberta tinha noção que ele dizia isso para todas, contudo, já sentia-se lisonjeada e pensava: “Que saco! Vai começar tudo de novo”. Depois de alguns dias, ele conseguiu ficar com ela, na verdade, não só com ela... Pelo menos Roberta se sentia uma vítima mais consciente, afinal no amor todo mundo é meio masoquista. 

Comentários

Disqus

Instagram