Vida-Louca

Nada mais doloroso do que acabar um relacionamento, pior se ele já faz 7 anos, pior ainda se vocês já estavam noivos e o fim da picada, é o fator: traída pela vizinha. Sim, era exatamente o que Claudia passara.
No começo doeu tanto, que Claudia não sabia se ia suportar. Era tão sozinha... já não tinha mais  amigas solteiras, ou programa que não incluísse o falecido. A toda hora, vinha a lembrança do ex. Então, ela pensou em voltar, em vingança (afinal ta na moda) e em assumir uma nova personalidade para esquecer quem foi e o mais importante: com quem foi sua alegria.
Claudia mudou de cidade, arrumou um novo emprego, mudou o guarda-roupa e encarou uma nova personalidade VIDA-LOUCA (também é só o que da no Instagram... kkkkkkkk). Conheceu novas pessoas e vivia de balada em balada.
A verdade é que isso funciona. Não dar tempo para pensar no que ficou para trás, afinal são tantas novidades, tantas alegrias momentâneas...  Até o dia que ela resolveu ficar em casa sozinha, era domingo, final de tarde, sem ter companhia, tudo que da dor vazia. Lembrar do que passou e da ilusão de que aquilo foi felicidade. Era assim que Claudia se sentia. Deu o click.

Claudia decidiu romper com mais uma ilusão, antes que fosse tarde: a vida de excessos. Não dava mais prioridade as farras, eliminou os amigos interesseiros e começou a se dedicar a uma carreira. Caiu os encontros casuais, os amigos quase não tinha mais e agora tinha tempo de fazer cursinho de inglês todas as noites. 


ATENÇÃO: Quem tem um pé na Vida-Louca, vai achar o final uma chatice, mas seria diferente se eu dissesse que ela é promovida para um outro país e encontra um grande amor, graças as aulinhas de inglês?

Comentários

Disqus

Instagram