A Fadinha e o Tritão


Em um reino épico muito distante, havia uma fadinha bastante serelepe, que vivia voando por ai com seus cabelos longos e roxos ao vento. Seu signo era do ar, o que permitia voos rápidos pelos bosques. Um belo dia, resolveu observar o mar, sentou-se nas pedras a beira, adquirindo tamanho humano para observar as ondas. A calma fazia sua mente ficar aberta, sem pensar em mais nada. Até que algo fez seu coração dar um salto, primeiro pelo susto, depois pela beleza do que ela vira. Era uma criatura magnífica, que saia da água em um salto de golfinho, com a pele pálida envolvida por um brilho particular, cabelos brancos compridos, feições afiladas e da sua cintura brotava um grande rabo de peixe dourado. Um salto rápido, mas que para fadinha durou tempo suficiente para fitá-lo com olhos admirados e perceber, que os outros olhos retribuíam o mesmo olhar. Simplesmente, incrível!

A fadinha foi embora antes do sol se pôr, com aquela imagem na cabeça. Já tinha ouvido falar em tritões, mas não imaginava uma criatura arrebatadora. Sua vontade era contar para todas as outras fadas amigas, porém sabia que elas achariam loucura a curiosidade, que surgira esta tarde, uma proximidade capaz de criar uma guerra, como muitas outras que já houveram.

No dia seguinte a fadinha fez suas tarefas diárias e quando não tinha ninguém para dar conta, partiu mais uma vez, sabendo que tudo aquilo podia ser uma grande loucura, afinal os tritões tinham a fama de serem violentos, entretanto ela via-se cheia de fascínio. Aquilo era algo para ser visto novamente.

Ao chegar sentou-se na mesma pedra e tornou a adquirir o seu tamanho humano. Dessa vez, não para olhar melhor a imensidão do mar, mas sim, para sentir-se menos frágil, diante da excitação e esperança de ver a criatura novamente. Logo surgi projetando-se na água, não como antes num salto fantástico, mas agora, devagar, com cautela. Não dava para ver mais, do que os ombros largos do tritão, porém, ainda assim, era belo. Ele se aproximava das pedras com um olhar receoso, por trás dos olhos verde-água, donos de uma beleza nunca vista antes pela fada, que retribuía o mesmo olhar.

- “O que você faz aqui ?” Disse o tritão com uma voz doce que quebrou a agonia do silêncio.

- “Eu vim apenas observar o mar” Explicou a fadinha com uma voz quase tremula.

- “Eu vim ver se era de verdadeira a criatura que me observava ontem. Então você é uma fada?” Falou o tritão acompanhado de um sorriso nervoso. 

A fadinha corou as bochechas. Criou coragem e respondeu, ainda com medo do impacto que aquela resposta poderia ter:

-“Sim” ele pareceu recuar um pouco com a resposta, mas permaneceu na superfície. “Uma fada do vento. E você é um famoso tritão dos mares?” Continuou a fadinha.

- “Sim, eu deveria ter medo de você. Fadas e gnomos não possuem uma reputação muito boa aonde eu vivo.” Ele disse com um tom cuidadoso. “Eu nunca havia visto uma da sua espécie antes, eu deveria ter medo, mas não tenho.” agora sua voz se fazia mais segura.

- “Eu, perigosa?!” a fadinha deu um sorriso zombeteiro. “Não, eu não acredito que qualquer um de nós seria capaz de fazer mal a um inseto se quer.” Ela disse com a calma que não deveria possuir. “Quem tem fama de feroz no meu reino, são vocês” disse ela fazendo ele se aproximar ainda mais.

Os dois riram. O assunto sobre a guerra foi esquecido diante da conexão que surgira naquele momento.

A fadinha foi embora ao anoitecer, tão feliz que nem podia acreditar. Não tinha dúvidas de que voltaria no dia seguinte. E voltou. Dessa vez com menos cautela e medo de ambos os lados. Ela tinha os pés dentro da água e ele mais exposto, com água na cintura, exibindo um tronco másculo, cheio de músculos.

- “Berilo” disse o tritão.

- “O que?” perguntou a fada dos cabelos roxos confusa.

- “Meu nome, ontem nós falamos sobre nosso povo, mas não nós apresentamos” disse ele deixando escapar um sorriso.

- “Acalântis, mas me chamam de Tiss” respondeu a fadinha desconcertada.

Eles se deram as mãos em um aperto delicado. Ao contrario do que Tiss pensava não era a textura da pele de um golfinho, mas sim uma pele macia e gelada.

- “Então Berilo, como você respira lá em baixo?”

Ele apenas apontou para seis grandes arranhões, de repente, ele os abriu e logo fechou. A fadinha deu um pulo quando viu. Dava pra ver o interior da garganta do tritão, aquilo, sem dúvida, eram guelras como a dos peixes.

- “Posso?” perguntou a fada, aproximando-se novamente e estirando a mão para tocar as brânquias fechadas.

Berilo deixou sem dizer uma palavra, apenas aceitando o toque da fadinha chegar a sua pele. 

- “Não dói?” Perguntou a fadinha, olhando nos olhos.

- “Não, se elas estiverem fechadas na superfície e abertas no fundo do mar.” Disse o tritão aproximando-se ainda mais.

As faces estavam a bem menos de um palmo. Os olhos de Berilo fitavam além dos olhos cor de mel de Acalantis, sua boca também era vista. Com uma aproximação cada vez mais lenta o que parecia impossível, aconteceu. Eles não raciocinaram sobre as consequências do que estava para acontecer, apenas deixaram-se levar pela emoção que os conduzia. O beijo era terno, a fadinha podia sentir os lábios gelados e não se conteve em segurar a face do tritão com as duas mãos, como se precisasse tocá-lo para ter certeza que era algo real. Ele retribuiu quando pôs sua mão gelada, em um toque singelo em seu pescoço, alisando-o, fazendo-a ter certeza de aquilo não era um sonho. Berilo, segura Tiss pelos ombros e a afasta delicadamente, distanciando-se, ao mesmo tempo, que vai submergindo no mar lentamente, enquanto ela o encarava paralisada, com as mãos nos lábios.

Enfim, o sol se põe com a promessa de um romance proibido e dois corações cheios de esperança.

Alguém ai interessado em uma sequência para está história?

Comentários

  1. História muito bonita, coloca a sequencia sim !

    http://coisasuteisoufuteis.blogspot.com.br/2014/04/sorteio-em-parceria-com-tpm-de-ofertas.html

    Mega sorteio, vai ficar de fora ? PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM !

    ResponderExcluir
  2. Amazing story!!!
    Would you like to follow each other via GFC and FB?

    ResponderExcluir
  3. Que história linda!
    Se pudesse leria denovo e denovo rsrs. Arrasou!

    Beijocas,

    nossoglamour.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Disqus

Instagram