TV: 6 Motivos Para Ver Sense8

Mais uma indicação de série para quem gosta do assunto. Já faz um tempo que eu vejo essa série, mas só agora consegui parar um pouco para escrever sobre e dizer para vocês o que ela tem de bom.

1. História Original

Oito pessoas de países e culturas diferentes, fazem aniversário dia 8 de agosto de 2015 (que se somado os números dão 8) e misteriosamente têm a mesma visão da violenta morte de uma mulher chamada Angelica e, a partir de então, eles descobrem estar mental e emocionalmente ligados um ao outro, sendo capazes de se comunicar, sentir e apoderar-se do conhecimento, linguagem e habilidades uns dos outros. E logo descobrem que são Sensates. Apesar de parecer um roteiro completamente maluco de sci-fi (o que ainda pode ser, pois tem muita coisa a explicar), na verdade a série trata de complexos temas e é carregada de drama, por isso, a série classificada como ficção dramática. Ótimo ver algo completamente original, que não seja uma releitura ou uma adaptação.

2. Diretores e Criadores

Um dos motivos que me fez assistir a série foi saber que ela é dirigida, escrita e produzida por Lilly Wachowski e Lana Wachowski, irmãs transgênero e responsáveis (por nada mais, nada menos), que a trilogia do filme Matrix (só o Reloaded assisti três vezes no cinema, tipo obsessão mesmo), além do famoso J. Michael Straczynski, conhecido na industria dos quadrinhos por ter sido roteirista do Quarteto Fantástico e do Homem-Aranha. Então eu pensei: "não tem como dar errado". Ambos cheio de referências e experiências com ficção científica, porém com grandes mensagens intelectualmente reflexivas. Então, mesmo que você não entenda nada, vale a pena insistir, pois o sentido vai surgindo aos poucos.

3. Diversidade e Temas Polêmicos

Além de tratar sobre conflitos em diversas culturas, a série busca mostrar de perto cada personagem e o seu papel fundamental na trama com uma dificuldade pessoal própria, mas, ao mesmo tempo, com uma habilidade essencial para ajudar na trajetória dos outros. Um dos exemplos mais comentados é da hacker, transgênero e lésbica, vivida pela, também transgênero, atriz Jamie Clayton, que levanta o assunto do preconceito a classe trans, dentro e fora da série.

4. Nudes

Não sei se isso te atrai ou te retrai, mas de fato não é uma série para assistir com a mãe do lado. Os nudes estão lá em cenas de sexo heteros e gays, de banda e de frente, da cintura para cima e para baixo. E o mais louco são as cena que envolvem vários dos protagonistas juntos. Não sou a favor de assistir uma série pelos nudes, nem cenas fortes, mas algumas das melhores e mais divertidas cenas envolvem o tema, #fato.

5. Fotografia e Locações

Só pela abertura você já sente um amorzinho pelo visual da série. As locações e gravações foram feitas por todo mundo: Alemanha, Inglaterra, EUA, Coréia do Sul, Índia, México Quênia e Islândia. Em alguns casos, a produção optou por filmar eventos da vida real e seus públicos, o que nos trás uma sensação de realidade sobre os ambientes vividos por cada um. A imagem da série é bem clara, você entende tudo o que está na tela e consegue contemplar bem as lindas paisagens.

6. Para Ver Online

É uma produção original da Netflix, o que significa que podemos assistir aos episódios quando quisermos, sem hora marcada. A série tem uma temporada com 11 episódios, com cerca de 50min. cada. Entretanto, só retornará com a segunda temporada em 2017, contudo para consolo geral, este ano teremos um especial de Natal. Para quem já assiste, resta aguardar ansiosamente, mas se você tem pretensão de começar a ver, pode ser sua chance de acompanhar sem muito atraso.

E vocês o que acham da série?

Xerim!

Comentários

Disqus

Instagram